Olá caros amigos leitores Soberanos, peço desculpas para vocês, porém irei republicar dois textos, pois sumiram alguns posts do blog. Eu não sei o motivo nem o que ocorreu, mas como tenho tudo salvo, irei republicar dois deles com alguns acréscimos. Boa leitura.

 

Como todos devem saber, muitos rivais falam que o Soberano fora rebaixado no campeonato Paulista de 1990. Com o título do "small club" esse tema voltou a tona, e assim quero esclarecer que o Soberano jamais fora rebaixado. Abaixo seguem alguns textos que me dão apoio nessa afirmação.

 

Michael Serra no blog: http://spfcpedia.blogspot.com/2007/12/rebaixamento-no-viaja.html (estudo mais completo sobre o assunto):

 

"

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Rebaixamento? Não viaja.

Preâmbulo

Desde o campeonato paulista de 1987, no qual Bandeirante e Ponte Preta foram rebaixados, esta competição vinha se inchando. Sempre tendo dois times promovidos ao escalão principal, e nenhum caindo à Segunda Divisão, então chamada Divisão Especial. Assim, em 1987 subiram União São João e São José, no lugar dos dois citados anteriormente.

Em 1988, Bragantino e Catanduvense conquistaram o acesso para a Primeira Divisão de 1989. Ninguém caiu. Em 1989 ocorre o mesmo, Ituano e Ponte Preta venceram a Divisão Especial e em 1990 participaram da elite. Como dito, ninguém caiu.



Regulamento de 1990

Eis então 1990. Antes de qualquer coisa, vejam uma cópia do regulamento do campeonato:


O parágrafo citado diz exatamente o que vinha ocorrendo já alguns anos. O campeonato havia se inflado de 20 para 24 clubes, e assim foi disputado sempre em grupos. NÃO HAVIA REBAIXAMENTO.



Revista Placar

Atenção a este trecho da Revista Placar, de 26 de janeiro de 1990, edição 1024 - anterior ao campeonato:


A formula de disputa já era idêntica a do ano seguinte, 1991, em um ponto - separada em grupo dos mais fortes, e grupo dos mais fracos, mas ambos com chances de disputar o título. Na competição de 1991 é a qual pseudo-jornalistas vomitam lixo ao falar que houve virada de mesa ou favorecimento ao São Paulo.

A idéia do regulamento é de fato esdrúxula, mas foi cumprida com afinco. Pensavam em atender a gregos e troianos: a gregos fazendo a elite jogar menos e só entre os grandes, e a troianos dando participação a pequenos, que poderiam se matar entre si e ainda abocanhar algo na fase final.

Acontece que em 1990 o Tricolor foi, de fato, muito mal das pernas, não se classificando para fase decisiva. E, em suma, na classificação final seria enquadrado no ano seguinte no grupo dos times mais fracos. O que se pode dizer é que, os grupos não eram definidos por sorteio, mas por critérios técnicos.

MAS NEM POR ISSO SE PODE DIZER QUE HOUVE REBAIXAMENTO, pois não houve - os times da Segunda Divisão (Divisão Especial) continuaram longe da Primeira e os da Primeira, longe dos da Segunda, exceto os promovidos supracitados.

Por isso que, exatamente ao fim da participação do São Paulo no certame, não se viu linha ou palavra alguma sobre "rebaixamento" da Revista Placar, sobre esse campeonato de 1990. Afinal, como sabemos, ela leu o regulamento:



Imagem de Abdul.

Tampouco houve virada de mesa.



"A Lei da Inércia Futebolística"

Assim foi nomeada pela revista PLACAR, já citada, a decisão de não haver rebaixamento para o campeonato paulista de 1990, como vemos abaixo:




Imagens por Renato Oliveira (Originais sem marca texto: 1 e 2)

Eduardo Farah, ainda desta vez pariu uma competição sem descenso.
Assim, aproveitando a extinção do descenso, nove clubes, entre eles o próprio Juventus, adotaram a lei da inércia futebolística e resolveram "deixar tudo como está para ver como é que fica". Ou seja, nada de loucuras nas contratações.

O técnico Nelsinho Baptista, então do Novorizontino, diz na mesma reportagem:

"Como não tem rebaixamento, os times pequenos podem se dar a esse luxo".

Referindo-se ao fato de um time pequeno jogar ofensivamente.

Mais abaixo, em uma imagem do site da Federação Paulista, se mostra que Campeonato de 1991 já havia sido moldado em certos aspectos - A composição dos grupos. Todavia, em 1991 haveria, depois de um bom tempo, sim rebaixamento (E o rebaixado foi o São Bento, substituído pelo Araçatuba). E como já mostramos também, o confronto entre os grupos já ocorria mesmo em 1990. Na verdade, o confronto entre os grupos vem mesmo de antes:
 

Anos Anteriores

Em 1988 o campeonato foi disputado em dois grupos, de 10 clubes cada, classificando-se 4 à fase final. Nenhum time foi rebaixado.

Em 1989 o campeonato foi disputado em dois grupos, de 11 clubes cada, sendo que os grandes ficaram concentrados em um só grupo, o 2, e nem por isso os clubes do grupo 1 foram considerados rebaixados. Classificaram-se para a segunda fase 8 clubes do grupo 2, dos grandes, e 4 do grupo 1, dos menores - porque a classificação foi por pontos, não importando a posição. Nenhum time foi rebaixado.

Em 1990 o campeonato foi disputado em dois grupos, de 12 clubes cada, sendo que os grandes também ficaram concentrados em um só grupo, o 1, e nem por isso os clubes do grupo 2 foram considerados rebaixados. Classificaram-se para a segunda fase 7 clubes do grupo 1, dos grandes, e 4 do grupo 2, dos menores - porque a classificação foi por pontos, não importando a posição. Nenhum time foi rebaixado.

Como vêem, de 1988 à 1991, aliás, 1993, os regulamentos, ainda que absurdos, são MUITO semelhantes.

Clubes e Divisões em 1990 e 1991

Lista de Participantes do Campeonato Paulista da Divisão Especial (como era chamada a segunda divisão) em 1990 - portanto, a divisão imediatamente inferior a que o SPFC disputava nesse ano, e para onde, porventura, teria que ir caso realmente fosse rebaixado:

ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA CENTRAL BRASILEIRA DE COTIA
ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA FRANCANA DE FRANCA
ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA VOTUPORANGUENSE DE VOTUPORANGA
ASSOCIAÇÃO ESPORTIVA ARAÇATUBA DE ARAÇATUBA
BANDEIRANTE ESPORTE CLUBE DE BIRIGUI
CAPIVARIANO FUTEBOL CLUBE DE CAPIVARI
CLUBE ATLÉTICO LENÇOENSE DE LENÇÓIS PAULISTA
CLUBE ATLÉTICO LINENSE DE LINS
CLUBE ATLÉTICO TAQUARITINGA DE TAQUARITINGA
COMERCIAL FUTEBOL CLUBE DE RIBEIRÃO PRETO
ESPORTE CLUBE LEMENSE DE LEME
ESPORTE CLUBE TAUBATÉ DE TAUBATÉ
FERNANDÓPOLIS FUTEBOL CLUBE DE FERNANDÓPOLIS
GREMIO ESPORTIVO SÃOCARLENSE DE SÃO CARLOS
INDEPENDENTE FUTEBOL CLUBE DE LIMEIRA
MARÍLIA ATLÉTICO CLUBE DE MARÍLIA
MIRASSOL FUTEBOL CLUBE DE MIRASSOL
NACIONAL ATLÉTICO CLUBE DE SÃO PAULO
OLÍMPIA FUTEBOL CLUBE DE OLÍMPIA
PAULISTA FUTEBOL CLUBE DE JUNDIAÍ
RIO BRANCO ESPORTE CLUBE DE AMERICANA
RIO PRETO ESPORTE CLUBE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
SAAD ESPORTE CLUBE DE ÁGUAS DE LINDÓIA
SERTÃOZINHO FUTEBOL CLUBE DE SERTÃOZINHO
TANABI ESPORTE CLUBE DE TANABI
UNIÃO FUTEBOL CLUBE DE MOGI DAS CRUZES

fonte: Almanaque do Futebol Paulista e RSSSF.

Foram promovidos para a 1ª em 1991 os que estão em negrito.

Caso o São Paulo fosse rebaixado, teria que jogar contra todos os outros 20 clubes da segundona de 90. Mas não, só jogou em 1991 com os 4 promovidos a primeira divisao.

Ou, teriam caido para terceira divisao 20 times? Tal o absurdo de terem caído também 10 times da primeira para a segunda?

Vejam a lista de participantes da segundona de 1991:


ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA CENTRAL BRASILEIRA DE COTIA
ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA FRANCANA DE FRANCA
ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA PORTUGUESA DE SANTOS
ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA VOTUPORANGUENSE DE VOTUPORANGA
ASSOCIAÇÃO ESPORTIVA ARAÇATUBA DE ARAÇATUBA
BANDEIRANTE ESPORTE CLUBE DE BIRIGUI
BARRETOS ESPORTE CLUBE DE BARRETOS
CAPIVARIANO FUTEBOL CLUBE DE CAPIVARI
CLUBE ATLÉTICO JALESENSE DE JALES
CLUBE ATLÉTICO LENÇOENSE DE LENÇÓIS PAULISTA
CLUBE ATLÉTICO TAQUARITINGA DE TAQUARITINGA
COMERCIAL FUTEBOL CLUBE DE RIBEIRÃO PRETO
ESPORTE CLUBE LEMENSE DE LEME
ESPORTE CLUBE TAUBATÉ DE TAUBATÉ
FERNANDÓPOLIS FUTEBOL CLUBE DE FERNANDÓPOLIS
INDEPENDENTE FUTEBOL CLUBE DE LIMEIRA
JABOTICABAL ATLÉTICO DE JABOTICABAL
MIRASSOL FUTEBOL CLUBE DE MIRASSOL
NACIONAL ATLÉTICO CLUBE DE SÃO PAULO
PALMEIRAS FUTEBOL CLUBE DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA
PAULISTA FUTEBOL CLUBE DE JUNDIAÍ
RADIUM FUTEBOL CLUBE DE MOCOCA
RIO PRETO ESPORTE CLUBE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
SERTÃOZINHO FUTEBOL CLUBE DE SERTÃOZINHO
SOCIEDADE ESPORTIVA MATONENSE DE MATÃO
TANABI ESPORTE CLUBE DE TANABI
UNIÃO AGRÍCOLA BARBARENSE FUTEBOL CLUBE DE SANTA BÁRBARA D'OESTE
UNIÃO FUTEBOL CLUBE DE MOGI DAS CRUZES

fontes: as mesmas.

Por fim, deixo os links e os vídeos de jornalistas que dizem o mesmo (e que não fazem meramente sensacionalismo de massa para acalentar o choro de certos torcedores rivais acostumados a segunda divisão):



Paulo Vinícius Coelho (palmeirense)
no programa da ESPN Brasil, Loucos por Futebol

 


E também em sua coluna na ESPN, 26/01/2009:

Por mais que o assunto esteja encerrado, com o pedido de desculpas da Federação Paulista, a polêmica em torno do suposto rebaixamento do São Paulo obriga a publicação desta nota. O São Paulo não caiu no Campeonato Paulista de 1990, porque o regulamento daquele Paulistão deixava claro que não havia rebaixamento.

O texto fala em Divisão Especial, porque o regulamento explica que o campeonato da Primeira Divisão de 1991 será dividido em dois grupos. Um formado pelos 14 melhores do Campeonato de 1990 e outro pelos 10 piores e pelos quatro promovidos para 1991. Ser rebaixado significa cair de divisão.

O regulamento não fala, mas a memória de quem morava em São Paulo, como é o caso deste jornalista, se lembra. Quando o torneio de 1990 começou, as entrevistas dos dirigentes da Federação já davam conta de que haveria o cruzamento. É por isso que nenhum dos 10 clubes não classificados para o grupo dos grandes de 1991 reclamou.

Você já imaginou um campeonato que comece com a perspectiva de rebaixar dez clubes? Ninguém vai reclamar?

Ninguém reclamou porque o regulamento era explícito: não haverá descenso.
 

José Renato
no blog do jornalista Victor Ernesto Birner
Blog do Birner, 06/11/2007.

Atendendo aos inúmeros pedidos, encaminho abaixo detalhes sobre os fatos ocorridos durante o Campeonato Paulista de 1990.

Ele foi dividido em 2 grupos:

Grupo 1: Corinthians, Internacional, Bragantino, Novorizontino, Palmeiras, São Paulo, Mogi-Mirim, Santos, Portuguesa, União São João, São José e Guarani.

Grupo 2: Catanduvense, Juventus, Botafogo, XV de Piracicaba, XV de Jaú, América, Noroeste, São Bento, Santo André, Ferroviária, Ituano e Ponte Preta

1) Segundo o regulamento do Campeonato Paulista, durante as duas primeiras fases as equipes se enfrentariam dentro e fora de seus grupos. Sendo que os 12 times com melhor campanha, independentemente do grupo do qual fazia parte, se classificariam, automaticamente, para a Quarta Fase:

O que aconteceu: As equipes classificadas foram o Corinthians, Palmeiras, Bragantino, Santos, Mogi-Mirim, Portuguesa e Novorizontino, pelo Grupo 1 e XV de Piracicaba, XV de Jaú, Ferroviária, Ituano e América, pelo Grupo 2.(Regulamento Cumprido)

2) Conforme o regulamento os campeões de cada grupo se classificariam automaticamente para a Copa do Brasil de 1991.

O que aconteceu: Corinthians e XV de Piracicaba foram os vencedores de seus grupos e se classificaram para a Copa do Brasil de 1991. (Regulamento Cumprido)

3) O regulamento informava que as equipes que não tivessem se posicionado entre as 12 melhores aos longos das duas primeiras fases, deveriam disputar a Terceira fase, uma espécie de repescagem. As equipes seriam divididas em dois grupos de 6.

O que aconteceu: As equipes foram divididas em 2 grupos, o primeiro formado por Botafogo, Internacional, Santo André, São Paulo, Ponte Preta e Noroeste e o outro por Guarani, Catanduvense, São José, Juventus, União São João e São Bento. (Regulamento Cumprido)

4) O regulamente definia que apenas os campeões de cada grupo desta terceira fase, se classificariam para a quarta fase, quando se juntariam aos demais 12 classificados anteriormente, e seriam divididos em 2 grupos de 7.

O que aconteceu: Botafogo e Guarani foram os campeões de seus grupos e se classificaram para a Quarta fase. Nesta fase, as equipes foram divididas em 2 grupos de 7. O primeiro grupo foi formado por Bragantino, Corinthians, Botafogo, Santos, Ituano, Mogi-Mirim e XV de Jaú, o segundo grupo foi constituído por Novorizontino, Palmeiras, Guarani, Portuguesa, América, XV de Piracicaba e Ferroviária. (Regulamento Cumprido)

5) Quanto ao rebaixamento, vamos ao texto original do regulamento oficial do Campeonato Paulista de 1990. Parágrafo 1º do artigo 5º: “Para o Campeonato da Primeira Divisão de Futebol Profissional de 1991, o Grupo I será constituído pelas 14 associações classificadas para disputar a quarta fase do Campeonato de 1990 e o Grupo II será constituído pelas dez associações restantes que não se classificaram para a quarta fase e mais quatro advindas da Divisão Especial de 1990.” Parágrafo 2º - “No campeonato da primeira divisão de futebol profissional de 1990, não haverá descenso à divisão especial de futebol profissional. Mas a partir de 1991, ou a cada ano haverá o descenso de uma associação da Primeira Divisão de Futebol Profissional e o acesso de uma associação da Divisão Especail de Futebol Profissional

O que aconteceu: O Campeonato Paulista de 1991 foi constituídos por 2 grupos de 14 equipes: Grupo I formado pelos 14 classificados para a Quarta Fase do Campeonato de 1990 - Corinthians, Palmeiras, Botafogo, Portuguesa, Guarani, Bragantino, Santos, Ituano, América, Novorizontino, XV de Piracicaba, XV de Jaú, Ferroviária e Mogi-Mirim; Grupo II formando pelas 10 equipes que não se classificaram para a Quarta Fase do Campeonato de 1990: São Paulo, Internacional, Santo André, Noroeste, Catanduvense, Juventus, Ponte Preta, União São João, São José e São Bento, mais 4 equipes originária da Divisão Especial de 1990 que foram: Olímpia, Marília, Sãocarlense e Rio Branco (Regulamento Cumprido)

6) Por fim, voltando a Quarta Fase do Campeonato de 1990, o regulamento previa que os campeões de cada grupo disputariam o título

O que aconteceu: Bragantino e Novorizontino foram campões de seus grupos e decidiram o título em 2 jogos, nos dias 22 e 26 de agosto. O título foi conquistado pelo Bragantino (Regulamento Cumprido)

Também sugiro o link abaixo que mostra o jornalista Paulo Vinícius Coelho, o PVC, explicando o regulamento do Campeonato Paulista: http://youtube.com/watch?v=g2n8vzxKRPs

E foi assim que a história aconteceu.

O próprio Jornalista Victor Birner:
Blog do Birner, 03/02/2008.

Eu não tocava no assunto por uma razão. Sou são-paulino e os ataques quando elogio o time são constantes. Eu fui aos jogos de 90. Não houve festa, comoção, e outras reações normais quando um gigante cai.

Até uma reportagem da Folha apareceu!

Como discutir sem uma prova?

O José Renato Sátiro Santiago JR, do grupo de estudos literários do futebol, blogou o regulamento num post, mas ele também é são-paulino e no meio dos fanáticos (sabe como é… O ser humano radical acha que todos raciocinam como ele) seu time de coração destrói a credibilidade da informação.

O Paulo Vinícius Coelho, meu preferido do mercado, jornalista de esportes desde 1987 e dono de memória e sabedoria invejáveis, também disse que não tinha caído. Ele é palmeirense, mas também não foi levado em consideração. Talvez porque os fanáticos não admitam que exista uma equipe do trio-de-ferro que nunca foi rebaixada.

Agora, até Juca Kfouri, um dos maiores defensores da queda, deu o braço a torcer.

Leia, abaixo, o que o chefe blogou no uol.

E com a prova.

“Este blogueiro mesmo andou anos convencido de que o São Paulo havia sido rebaixado no Campeonato Paulista de 1990.Baseava-me numa entrevista do então, e de triste memória, presidente da FPF, Eduardo Farah, na qual ele garantia que o tricolor disputaria a segundona em 1991. Mas o insistente ombudsman deste blog, Conrado Giacomini, achou a prova incontestável de que o regulamento de 1990 não previa mesmo nenhum rebaixamento. Contra fatos não há argumentos”.


O credenciado Jornalista Juca Kfouri (corinthiano)
Blog do Juca, 03/02/2008.

E não se fala mais nisso, OK?


Este blogueiro mesmo andou anos convencido de que o São Paulo havia sido rebaixado no Campeonato Paulista de 1990.

Baseava-me numa entrevista do então, e de triste memória, presidente da FPF, Eduardo Farah, na qual ele garantia que o tricolor disputaria a segundona em 1991.

Mas o insistente ombudsman deste blog, Conrado Giacomini, achou a prova incontestável de que o regulamento de 1990 não previa mesmo nenhum rebaixamento.

Contra fatos não há argumentos.

O ilustre Mauro Betting (palmeirense) concorda:
Blog do Mauro, 01/12/2007.

O São Paulo não foi rebaixado no SP-91 depois de ser eliminado da quarta fase do SP-90, e não ter assegurado vaga nem na repescagem - ficou um ponto atrás do Botafogo de Ribeirão Preto.
Ele apenas não disputou o módulo da elite do Paulistão de 1991.

É diferente. Ele não foi nem rebaixado em 1990, e nem disputou a segundona, em 1991.

No regulamento do SP-90 estava definido que seriam 28 participantes no estadual de 1991.
O grupo 1 (grupo verde), o da elite, seria formado pelos 14 classificados para a quarta fase do SP-90 - o São Paulo pré-Telê (que estava no Palmeiras, na fase decisiva de 1990) foi eliminado prematuramente.
Dessa forma, foi obrigado a participar do Grupo 2 (o amarelo) do SP-91, composto pelos 10 piores times até a terceira fase do SP-90, mais os quatro que subiram da Divisão Especial de 1990.

Mesmo confuso, o regulamento do SP-90 era claro num ponto: não haveria rebaixamento naquele ano.
Logo, o São Paulo (e mais São José - os finalistas do SP-89 -, Ponte Preta, Inter de Limeira, Santo André, Noroeste, União de Araras, Juventus, São Bento e Catanduvense) tiveram se se juntar a Olímpia, Sãocarlense, Marília e Rio Branco para a disputa do tal grupo amarelo, no SP-91.

O que acabou sendo um baita negócio para o Tricolor que havia acabado de conquistar o BR-91, com um senhor time já dirigido por Telê.

Além da fragilidade dos rivais, o São Paulo chegou à fase semifinal do campeonato paulista com absurda vantagem pela melhor campanha no grupo mais frágil.

A FPF comparou bananas com batatas. Os cinco times do grupo 1 e os 3 do grupo 2 foram divididos em dois grupos de 4. A vantagem da melhor campanha - de campeonato distintos! - foi dada ao campeão do grupo 2 - o São Paulo.

No desempate com o Palmeiras nas semifinais, as duas equipes com 9 pontos, o São Paulo (que era mais time que o rival) se classificou por ter feito mais pontos - no grupo mais fraco.

Na final, contra o Corinthians, tinha a mesma absurda vantagem concedida por regulamento burro.
Mas o time de Telê e Raí nada tinha com isso. Tratou de vencer bonito o Timão por 3 a 0 no primeiro jogo, e segurar o empate sem gols para ser campeão do mal bolado SP-91.

No frigir das bolas: o São Paulo não foi rebaixado em 1990. Nem disputou a segunda divisão em 1991.
Apenas ganhou rivais mais fracos e um regulamento mal feito para facilitar o serviço. Que seria confirmado em 1992, com bi paulista. Sem falar do bi da Libertadores e Mundial, em 1992-93.

O são-paulino pode dizer que nunca foi rebaixado de divisão.

Jornal O Estado de São Paulo


Reportagens do O Estado de São Paulo, de dia antes e dia depois da última rodada do São Paulo no campeonato de 1990. Em momento algum vemos o sensacionalismo comum quando um clube grande é rebaixado. Exatamente por não haver rebaixamento algum. E mais:

Com a desclassificação, o São Paulo terá de disputar o grupo "B" do campeonato do ano que vem, com os times que não se classificaram para a quarta fase este ano [...]

O Campeonato de 91 terá 28 times divididos em dois grupos de 14, e o São Paulo terá de ficar entre os primeiros nas duas primeiras fases para, na quarta, voltar a enfrentar Coríntians, Palmeiras, Portuguesa e Santos.


Ou seja, tanto não houve rebaixamento algum, como o cruzamento dos tais grupos já estava previsto.

A versão da Federação Paulista de Futebol I
 

Site Wayback Machine (que recupera páginas perdidas, retiradas do ar por mudanças de servidor, etc):

Rebaixamento que não houve.

A divulgação precipitada feita pela imprensa denominando um dos grupos do Campeonato Paulista de 1991 como sendo "2ª divisão" deixou a falsa imagem de que o São Paulo F.C. fôra rebaixado e obrigado a disputar o “Paulistinha”.

Não ocorreu rebaixamento nenhum do Tricolor.

O que aconteceu foi que o São Paulo não conseguiu se classificar entre as equipes que disputariam a Quarta Fase do campeonato de 1990.

O regulamento do certame de 1990 trazia inusitado artigo:

“Art. 50 § 1º - Para o Campeonato da Primeira Divisão de Futebol Profissional de 1991, o Grupo I será constituído pelas 14 associações classificadas para disputar a quarta fase do Campeonato de 1990 e o Grupo II será constituído pelas dez associações restantes que não se classificaram para a quarta fase e mais quatro advindas da Divisão Especial de 1990.”

Explica-se, então:

O São Paulo não conseguiu se classificar entre aquelas 14 equipes do Grupo I. Figurando entre as dez restantes, foi incluído no Grupo II, composto pelas equipes teoricamente mais fracas. Foi campeão do seu grupo e dispensou o título de 91 contra o Corinthians, que fôra campeão do Grupo I.

A decisão se deu em dois jogos; no primeiro, disputado no dia 8 de dezembro de 1991, o São Paulo ganhou de 3 x 0. No segundo, com o São Paulo jogando pelo empate, disputado no dia 15 de dezembro, não houve abertura de contagem e o São Paulo foi declarado campeão.

Ainda em nosso dias algumas pessoas insistem em se referir a esse falso rebaixamento do São Paulo.

Uma coisa é classificação, e outra é rebaixamento.

Em ambas as competições, em 1990 e 1991, o São Paulo estivera participando do Paulistão e não do Paulistinha, como insistem lembrar essas pessoas.

A versão da Federação Paulista de Futebol II


Este é um livro oficial da FPF de autoria de Rubens Ribeiro. Conta com um profundo trabalho dentro dos documentos e registros da própria federação, e claro, outras fontes. Nele é possível encontrar todas as fichas de jogos do Campeonato Paulista - o que releva a profunda pesquisa realizada. Logo, fonte fiável, pois mostra senso de comprometimento com o trabalho técnico-científico. Nas palavras desse livro: "Não houve rebaixamento no Paulista de 1990 - o regulamento não previa descenso, e sim a divisão da elite em dois grupos".
 

A Versão da Federação Paulista III


Colaboração: Tales Ebner.
Esta imagem é uma retratação oficial da FPF publicada nos principais jornais do estado de São Paulo no dia 22 de janeiro de 2008, a fim de sanar "equívoco" causado por uma publicação de terceiro, que, contudo, trabalhava para a mesma federação.

Acompanhe o "imbróglio" nas palavras de Ricardo Perrone e Rodrigo Bueno:
FPF renega guia que rebaixou o São Paulo no Campeonato Paulista

A FPF (Federação Paulista de Futebol) emitiu comunicado para corrigir informações do Guia Oficial do Paulista, que dá o São Paulo como rebaixado no Estadual de 1990 e que coloca em xeque o Paulista de 1991, ganho pelo clube.

"A FPF informa que o texto publicado no Guia do Paulista-2009 no que se refere 'O São Paulo não se classificou nem na repescagem e foi rebaixado para a segunda divisão' não procede", diz a nota, que saiu um dia após a reportagem mostrar trechos polêmicos da publicação.

A FPF diz "lamentar as informações'', e o presidente da entidade, Marco Polo Del Nero, desafeto são-paulino, disse que o time foi o "legítimo campeão de 1991'' --o guia diz que esse Paulista foi "no mínimo esquisito'', "beneficiou o São Paulo, que havia sido rebaixado, mas pôde disputar as finais''.

A entidade culpou o historiador Rodolfo Kussarev pelas informações. "Como pesquisador há mais de 20 anos, assumo total responsabilidade pelas informações'', diz Kussarev. Ele alega ter usado como base o livro "A História do Campeonato Paulista'', de André Fontenelle e Valmir Storti.

"O livro foi escrito com base nas informações dos jornais da época, entre eles a própria Folha de S.Paulo, onde os dois autores trabalhavam como repórteres em 1997, ano do lançamento do livro'', disseram os jornalistas.

Livro posterior do Estadual, de Rubens Ribeiro e com chancela da FPF, conta que não houve rebaixamento no Paulista de 1990 --o regulamento não previa descenso naquele ano.

O guia revoltou a diretoria são-paulina, que não poupou a cúpula da FPF. Carlos Augusto de Barros e Silva, vice de futebol do clube, culpa Del Nero pelo guia. "Ele tem culpa pelo que saiu. É responsável pela FPF, responde pela entidade.''

Marco Aurélio Cunha, superintendente do São Paulo, relacionou o guia à rusga recente entre o clube e a FPF pelo caso Wagner Tardelli na reta final do Brasileiro. "A diretoria interpretou como retaliação por causa da briga do fim de ano. A insatisfação aumentou. Para o São Paulo, a intenção do guia era desmerecer o título [de 1991] do clube'', falou Cunha.
Esse texto, do jornal Folha de São Paulo, praticamente refuta um outro artigo, também de sua publicação, citado também no texto acima - pois como vimos e veremos a seguir, foi escrito sem base alguma de conhecimento de causa, mostrando total descomprometimento com a verdade e com o regulamento do certame. Veja com mais detalhes abaixo:


Esta imagem apregoa que o SPFC teria sido rebaixado. Antes de mais nada, uma reportagem de imprensa nunca teria o mesmo peso que um documento legitimado. Todavia, vamos tratar de desmistificá-la:

Essa imagem NÃO PROVA nada...

Primeiro, pois, não mostra o que seria esse tal novo regulamento aprovado.

Segundo, pois, somente fala do conselho arbitral que definiu o regulamento de 1991, NÃO O DE 1990.

Terceiro, o definido contradiz o regulamento de 1990, literalmente. O que serviu de bases para o que se desencadeou posteriormente.

Quarto, a segunda divisão não tinha o nome "segunda divisão" desde 1987, sendo chamada divisão especial, não somente tendo essa configuração por causa do campeonato do SPFC em 1990.

Quinto, antes que esqueça, o mesmo artigo se contradiz, pois cita a Divisão Especial, com os times que subiram dela, formando esse novo 'grupo'. Pois bem, essa divisão especial de 90 era justamente a divisão exatamente inferior a primeira divisão, e contava com 24 times. Somente 4 foram promovidos, teriam caído então 20 para a terceira?

Sexto, O Casal de Rey baseava-se em algo legítimo, o regulamento prévio de 1990, por isso é tendenciosa a frase que diz que ele apelaria ao tapetão.

Sétimo, fatalmente o regulamento aprovado por este conselho arbitral deve ter sido sim rebatido pelo departamento jurídico do SPFC, COM BASES NO REGULAMENTO DE 1990, alterando as bases do de 1991, qualifidando-o então a disputa do título mesmo no grupo "dos menores". Nada menos que a justiça, e não "tapetão".

Simples.

Qualquer outra interpretação destes fatos, é errônea, e o pior de tudo, muito costumeira. O que só leva a lastimar o nível da imprensa e também da politicagem...

Enfim, ou seja,

NÃO VIAJA."

 

Vitor Birner em seu blog postou o seguinte texto:

 

"

São Paulo nunca foi rebaixado.

Birnadas

De Vitor Birner

Eu não tocava no assunto por uma razão. Sou são-paulino e os ataques quando elogio o time são constantes. Eu fui aos jogos de 90. Não houve festa, comoção, e outras reações normais quando um gigante cai.

Até uma reportagem da Folha apareceu!

Como discutir sem uma prova?

O José Renato Sátiro Santiago JR, do grupo de estudos literários do futebol, blogou o regulamento num post, mas ele também é são-paulino e no meio dos fanáticos (sabe como é… O ser humano radical acha que todos raciocinam como ele) seu time de coração destrói a credibilidade da informação.

O Paulo Vinícius Coelho, meu preferido do mercado, jornalista de esportes desde 1987 e dono de memória e sabedoria invejáveis, também disse que não tinha caído. Ele é palmeirense, mas também não foi levado em consideração. Talvez porque os fanáticos não admitam que exista uma equipe do trio-de-ferro que nunca foi rebaixada.

Agora, até Juca Kfouri, um dos maiores defensores da queda, deu o braço a torcer.

Leia, abaixo, o que o chefe blogou no uol.

E com a prova.

“Este blogueiro mesmo andou anos convencido de que o São Paulo havia sido rebaixado no Campeonato Paulista de 1990.Baseava-me numa entrevista do então, e de triste memória, presidente da FPF, Eduardo Farah, na qual ele garantia que o tricolor disputaria a segundona em 1991. Mas o insistente ombudsman deste blog, Conrado Giacomini, achou a prova incontestável de que o regulamento de 1990 não previa mesmo nenhum rebaixamento. Contra fatos não há argumentos”.

 

http://blogdojuca.blog.uol.com.br/ "

 

Reparem no detalhe da figura acima onde pode-se ler: "Como nos dois anos anteriores, não haverá rebaixamento" (grifo nosso)

Como se pode deduzir, o não rebaixamento não foi exclusivo de 1990, mas de campeonatos por 3 anos seguidos.

 

Ainda Birner (http://blogdobirner.virgula.uol.com.br/2007/11/06/1990-o-ano-em-que-o-sao-paulo-nao-caiu/):

 

"O São Paulo foi rebaixado em 1990?

De José Renato Sátiro Santiago Jr

Atendendo aos inúmeros pedidos, encaminho abaixo detalhes sobre os fatos ocorridos durante o Campeonato Paulista de 1990.

Ele foi dividido em 2 grupos:

Grupo 1: Corinthians, Internacional, Bragantino, Novorizontino, Palmeiras, São Paulo, Mogi-Mirim, Santos, Portuguesa, União São João, São José e Guarani.

Grupo 2: Catanduvense, Juventus, Botafogo, XV de Piracicaba, XV de Jaú, América, Noroeste, São Bento, Santo André, Ferroviária, Ituano e Ponte Preta

1) Segundo o regulamento do Campeonato Paulista, durante as duas primeiras fases as equipes se enfrentariam dentro e fora de seus grupos. Sendo que os 12 times com melhor campanha, independentemente do grupo do qual fazia parte, se classificariam, automaticamente, para a Quarta Fase:

O que aconteceu: As equipes classificadas foram o Corinthians, Palmeiras, Bragantino, Santos, Mogi-Mirim, Portuguesa e Novorizontino, pelo Grupo 1 e XV de Piracicaba, XV de Jaú, Ferroviária, Ituano e América, pelo Grupo 2.(Regulamento Cumprido)

2) Conforme o regulamento os campeões de cada grupo se classificariam automaticamente para a Copa do Brasil de 1991.

O que aconteceu: Corinthians e XV de Piracicaba foram os vencedores de seus grupos e se classificaram para a Copa do Brasil de 1991. (Regulamento Cumprido)

3) O regulamento informava que as equipes que não tivessem se posicionado entre as 12 melhores aos longos das duas primeiras fases, deveriam disputar a Terceira fase, uma espécie de repescagem. As equipes seriam divididas em dois grupos de 6.

O que aconteceu: As equipes foram divididas em 2 grupos, o primeiro formado por Botafogo, Internacional, Santo André, São Paulo, Ponte Preta e Noroeste e o outro por Guarani, Catanduvense, São José, Juventus, União São João e São Bento. (Regulamento Cumprido)

4) O regulamente definia que apenas os campeões de cada grupo desta terceira fase, se classificariam para a quarta fase, quando se juntariam aos demais 12 classificados anteriormente, e seriam divididos em 2 grupos de 7.

O que aconteceu: Botafogo e Guarani foram os campeões de seus grupos e se classificaram para a Quarta fase. Nesta fase, as equipes foram divididas em 2 grupos de 7. O primeiro grupo foi formado por Bragantino, Corinthians, Botafogo, Santos, Ituano, Mogi-Mirim e XV de Jaú, o segundo grupo foi constituído por Novorizontino, Palmeiras, Guarani, Portuguesa, América, XV de Piracicaba e Ferroviária. (Regulamento Cumprido)

5) Quanto ao rebaixamento, vamos ao texto original do regulamento oficial do Campeonato Paulista de 1990. Parágrafo 1º do artigo 5º: “Para o Campeonato da Primeira Divisão de Futebol Profissional de 1991, o Grupo I será constituído pelas 14 associações classificadas para disputar a quarta fase do Campeonato de 1990 e o Grupo II será constituído pelas dez associações restantes que não se classificaram para a quarta fase e mais quatro advindas da Divisão Especial de 1990.” Parágrafo 2º – “No campeonato da primeira divisão de futebol profissional de 1990, não haverá descenso à divisão especial de futebol profissional. Mas a partir de 1991, ou a cada ano haverá o descenso de uma associação da Primeira Divisão de Futebol Profissional e o acesso de uma associação da Divisão Especail de Futebol Profissional

O que aconteceu: O Campeonato Paulista de 1991 foi constituídos por 2 grupos de 14 equipes: Grupo I formado pelos 14 classificados para a Quarta Fase do Campeonato de 1990 – Corinthians, Palmeiras, Botafogo, Portuguesa, Guarani, Bragantino, Santos, Ituano, América, Novorizontino, XV de Piracicaba, XV de Jaú, Ferroviária e Mogi-Mirim; Grupo II formando pelas 10 equipes que não se classificaram para a Quarta Fase do Campeonato de 1990: São Paulo, Internacional, Santo André, Noroeste, Catanduvense, Juventus, Ponte Preta, União São João, São José e São Bento, mais 4 equipes originária da Divisão Especial de 1990 que foram: Olímpia, Marília, Sãocarlense e Rio Branco (Regulamento Cumprido)

6) Por fim, voltando a Quarta Fase do Campeonato de 1990, o regulamento previa que os campeões de cada grupo disputariam o título

O que aconteceu: Bragantino e Novorizontino foram campões de seus grupos e decidiram o título em 2 jogos, nos dias 22 e 26 de agosto. O título foi conquistado pelo Bragantino (Regulamento Cumprido)

Também sugiro o vídeo abaixo que mostra o jornalista Paulo Vinícius Coelho, o PVC, explicando o regulamento do Campeonato Paulista:

[youtube:http://youtube.com/watch?v=g2n8vzxKRPs]

E foi assim que a história aconteceu."

 

Por fim a manifestação da FPF que fora publicada em vários sites, incluindo o Blog do Paulinho (http://blogdopaulinho.wordpress.com/2009/01/21/comunicado-da-federacao-paulista-de-futebol/):

 

"Comunicado da Federação Paulista de Futebol

 

 

O Departamento de Comunicação da FPF informa que o texto publicado no Guia Oficial do Campeonato Paulista de 2009 no que se refere à seguinte informação: “O São Paulo não se classificou nem na repescagem e foi rebaixado para a Segunda Divisão” não procede.

O Departamento de Comunicação da Federação Paulista de Futebol lamenta as informações publicadas e informa que o texto é de autoria do historiador Rodolfo Kussarev, autor dos Almanaques dos Campeonatos Paulistas de 1999 a 2005.

O presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo Del Nero, pede que a informação seja corrigida imediatamente, reiterando que o São Paulo Futebol Clube foi o legítimo campeão paulista de 1991. E foi merecedor deste feito apenas e unicamente por sua performance técnica dentro da competição.

Abaixo, segue a declaração pública, de Rodolfo Kussarev, autor das informações contidas no Guia Oficial do Campeonato Paulista de 2009:

Eu, Rodolfo Kussarev, venho a público esclarecer as informações publicadas no Guia Oficial do Campeonato Paulista de 2009, em relação ao conteúdo relacionado ao São Paulo Futebol Clube. 

Aproveito a oportunidade para isentar integralmente o presidente Marco Polo Del Nero, seu vice executivo, Reinaldo Carneiro Bastos, o Departamento de Comunicação da entidade, coordenado pela jornalista Isabel Tanese e a qualquer outro dirigente da FPF, de qualquer interferência no conteúdo desta obra.

Como pesquisador de futebol há mais de 20 anos, consultor das mais renomadas editoras deste País, e tendo publicado inúmeras obras relacionadas ao tema, assumo total responsabilidade sob as informações contidas neste comunicado, e o faço com  mais alto índice de transparência, como tem sido a minha conduta em todos esses anos.

As informações a seguir se basearam principalmente em minhas referências bibliográficas e pesquisas, e no caso em questão relativo ao São Paulo Futebol Clube, no ano de 1990, minha referência foi o Publifolha, conforme veremos a seguir.

No livro “A História do Futebol Paulista”, publicado pela Publifolha em 1996, e que foi uma das fontes de pesquisa deste Guia, na página referente à competição de 1990 cita: “SURPREENDENTEMENTE, O SÃO PAULO NÃO SE CLASSIFICOU NEM NA RESPESCAGEM, O QUE SIGNIFICOU SEU REBAIXAMENTO À SEGUNDA DIVISÃO PARA 1991. O QUE, COMO VEREMOS, SIGNIFICOU UMA VANTAGEM PARA O CLUBE DO MORUMBI”.

No livro “A História do Futebol Paulista” da Publifolha, a página referente ao campeonato de 1991 diz em seu título: “REGULAMENTO AJUDA SÃO PAULO A VENCER”.

E no texto: “EMBORA FOSSE, PROVAVELMENTE, A MELHOR EQUIPE DO CAMPEONATO, O SÃO PAULO DE 1991 FOI O CAMPEÃO MAIS INUSITADO DA HISTÓRIA DO FUTEBOL PAULISTA. PELA PRIMEIRA VEZ, UM TIME REBAIXADO À SEGUNDA DIVISÃO NO ANO ANTERIOR ERA CAMPEÃO DA PRIMEIRA”. (Segue anexo cópia de ambas páginas para dar embasamento legal às informações que prestei ).


Fico à disposição para qualquer esclarecimento adicional que se faça necessário.

Rodolfo Kussarev.  "

 

Assim meus caros amigos, não há mais o que discutir, e a conclusão é inevitável: O Soberano jamais foi rebaixado.

Saudações Soberanas

Aurelio Mendes

@amon78

 

postado por Aurelio Mendes às 22:17

Comentários (7)
    O texto esclarece bem a dúvida quanto ao não rebaixamento do São Paulo, vale lembrar que no ano de 90 o São Paulo não conseguiu classificação para o Grupo I graças a um resultado armado entre as equipes do Corinthians e Palmeiras que apenas empataram seus jogos para poder prejudicar o São Paulo, mas o castigo veio no ano seguinte quando o Tricolor de Tele Santana chegou atropelando quem estivesse na frente e culminou com aquela final de 3 X 0 contra os gambás, 3 gols do Raí
      

    claro,que nao fomos rebaixados,time grande nao cai!
      

    12/12/2011 08:54:32 - Amon78
    Olá amigo Tritura,

    Obrigado pelo elogio, me esforço na medida do possível. Mas temos que agradecer aos autores mencionados, pois o trabalho deles, facilitou o meu.
    Abraços
      

    12/12/2011 08:45:47 - tritura     Administrador
    Amon78 esse texto é um estudo completo.
    Parabéns,e o mais importante
    NUNCA FOMOS REBAIXADOS!!!
    Saudações Tricolores!
      

    12/12/2011 08:39:13 - Amon78
    Quem quiser votar em mim como colunista no MWT do SPFCdigital, basta escrever meu nome "Aurelio Mendes"
    Obgo
      

    12/12/2011 08:37:03 - Amon78
    Olá DaniloDias,
    Obrigado por ler e comentar.
    O tamanho do texto decorre da necessidade de acabar com qq dúvida sobre o tema. Pesquisei o tópico e adicionei posts de autores renomados e bem fundamentados.
    Abraços e obrigado.
      

    O texto é gigantesco, mas a leitura compensa muito.

    Infelizmente existe essa dúvida inclusive entre os nossos trocedores, que entram na pilha de gambás e porcos que de fato conhecem bem essa humilhação.

    O texto é bem esclarecedor quanto a isso. Quem ainda tiver dúvidas, não tenha preguiça de ler.
      

1
Enviar Comentário
Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui.
  • Você apoia a continuidade do Morumbi em receber shows?
  • Sim, pois, música é cultura, um Direito do cidadão.
  • Sim, pois shows são meio de lazer, um Direito do cidadão
  • Não sei.
  • Não.